шаблоны joomla

topo

Estilo Contemporâneo

www.eudecoro.com
Imprimir PDF
Não tão despido como o estilo minimalista, mas igualmente sereno, bonito e funcional, o estilo contemporâneo seduz muitos decoradores, amadores e profissionais.
Saiba porquê.
Um ambiente contemporâneo baseia-se na simplicidade, num aspecto muito clean e moderno, uma vez que esta decoração tem em conta apenas as mais recentes tendências, ou seja, tudo aquilo que tem surgido a partir da segunda metade do século XX.
O mobiliário é caracterizado por silhuetas marcadas e esguias, peças angulares e traços simples. Privilegia-se mobília larga e espaçosa, baixa (muitas vezes rente ao chão) e superfícies completamente lisas, até porque são estas as principais protagonistas deste estilo de decoração.
As matérias-primas de eleição são o vidro, pedra, cimento, metal, aço, mármore, madeira clara e escura, que conferem uma elegância sublime aos espaços contemporâneos.
Em termos de acabamentos, o destaque vai para os pormenores envernizados, envidraçados, metalizados e pintados.
A estrutura forte da mobília pode e deve ser suavizada com recurso a tapetes suaves, estofos confortáveis e têxteis convidativos.
Alguns dos têxteis que normalmente se identificam com o estilo contemporâneo são o cabedal, alcântara, vinil, corda, bouclé, flanela, lã, algodão, linho, seda, caxemira e juta.
Os padrões ficam, não raras vezes, relegados a segundo plano, uma vez que os lisos são uma forte característica deste estilo. No entanto, um padrão vistoso ou subtil pode funcionar como o elemento diferenciador num ambiente moderno como este.
Utilizam-se muito as formas geométricas, quer em elementos decorativos, quer em peças de arte.
Privilegia-se uma paleta de cores neutra, onde se destaca o preto, branco, cinza, azul-acinzentado, bege, creme e castanho. Embora utilizadas principalmente em variações monocromáticas, estes tons podem ser dinamizados com a aplicação de alguns apontamentos em cores mais fortes, caso do amarelo, laranja, vermelho, beringela ou lilás.
Por norma, as paredes são normalmente claras e os tectos pintados de branco; no entanto, o uso de papel de parede também empresta um toque de contemporaneidade a este estilo.
É habitual decorar paredes com molduras pretas, brancas ou metalizadas; agrupadas em pequenos conjuntos simétricos, o seu efeito é espectacular.
O uso de plantas e flores deve ser reservado a espécies grandes, vistosas e despretensiosas, exibidas em vasos lisos e modernos, com pedras ou raspas de madeira a cobrirem a terra.
As janelas são decoradas com estores simples ou cortinas leves e esvoaçantes. A luminosidade é um factor chave deste estilo, por isso, há quem deixe as janelas completamente despidas.
A iluminação artificial, por sua vez, tem sempre uma função específica, ou seja, deve estar orientada para iluminar um determinado espaço ou peça. Os candeeiros em si são, muitas vezes, autênticas obras de design. Os focos de tecto embutidos são também uma excelente opção para quem quer criar uma decoração contemporânea.
No chão prefere-se o soalho em madeira, ladrilho ou pedra polida. Os tapetes devem ser lisos ou então estampados com formas geométricas vistosas.
O estilo contemporâneo é marcado por algum despojamento, nomeadamente no que toca a peças decorativas – aqui valoriza-se a qualidade, em detrimento da quantidade. Menos é mais e os elementos chave devem ser vistosos e de elevado bom gosto.
Existe um cuidado especial em termos de organização, preferindo-se armários amplos, embutidos e com um sistema de arrumos discreto e eficiente.
Para evitar espaços demasiado austeros, combinam-se peças arredondadas com peças mais rectas, conjuga-se mobiliário alto e baixo, utiliza-se texturas, alguns padrões e cores chave para criar um ambiente luxuoso e confortável.
A funcionalidade e um design exímio têm de estar de mãos dadas num estilo contemporâneo – de que serve a beleza, se não podemos usufruir dela?

estilo-contemporaneo

Não tão despido como o estilo minimalista, mas igualmente sereno, bonito e funcional, o estilo contemporâneo seduz muitos decoradores, amadores e profissionais.


Saiba porquê.

  • Um ambiente contemporâneo baseia-se na simplicidade, num aspecto muito clean e moderno, uma vez que esta decoração tem em conta apenas as mais recentes tendências, ou seja, tudo aquilo que tem surgido a partir da segunda metade do século XX.
  • O mobiliário é caracterizado por silhuetas marcadas e esguias, peças angulares e traços simples. Privilegia-se mobília larga e espaçosa, baixa (muitas vezes rente ao chão) e superfícies completamente lisas, até porque são estas as principais protagonistas deste estilo de decoração.
  • As matérias-primas de eleição são o vidro, pedra, cimento, metal, aço, mármore, madeira clara e escura, que conferem uma elegância sublime aos espaços contemporâneos.
  • Em termos de acabamentos, o destaque vai para os pormenores envernizados, envidraçados, metalizados e pintados.
  • A estrutura forte da mobília pode e deve ser suavizada com recurso a tapetes suaves, estofos confortáveis e têxteis convidativos.
  • Alguns dos têxteis que normalmente se identificam com o estilo contemporâneo são o cabedal, alcântara, vinil, corda, bouclé, flanela, lã, algodão, linho, seda, caxemira e juta.
  • Os padrões ficam, não raras vezes, relegados a segundo plano, uma vez que os lisos são uma forte característica deste estilo. No entanto, um padrão vistoso ou subtil pode funcionar como o elemento diferenciador num ambiente moderno como este.
  • Utilizam-se muito as formas geométricas, quer em elementos decorativos, quer em peças de arte.
  • Privilegia-se uma paleta de cores neutra, onde se destaca o preto, branco, cinza, azul-acinzentado, bege, creme e castanho. Embora utilizadas principalmente em variações monocromáticas, estes tons podem ser dinamizados com a aplicação de alguns apontamentos em cores mais fortes, caso do amarelo, laranja, vermelho, beringela ou lilás.
  • Por norma, as paredes são normalmente claras e os tectos pintados de branco; no entanto, o uso de papel de parede também empresta um toque de contemporaneidade a este estilo.
  • É habitual decorar paredes com molduras pretas, brancas ou metalizadas; agrupadas em pequenos conjuntos simétricos, o seu efeito é espectacular.
  • O uso de plantas e flores deve ser reservado a espécies grandes, vistosas e despretensiosas, exibidas em vasos lisos e modernos, com pedras ou raspas de madeira a cobrirem a terra.
  • As janelas são decoradas com estores simples ou cortinas leves e esvoaçantes. A luminosidade é um factor chave deste estilo, por isso, há quem deixe as janelas completamente despidas.
  • A iluminação artificial, por sua vez, tem sempre uma função específica, ou seja, deve estar orientada para iluminar um determinado espaço ou peça. Os candeeiros em si são, muitas vezes, autênticas obras de design. Os focos de tecto embutidos são também uma excelente opção para quem quer criar uma decoração contemporânea.
  • No chão prefere-se o soalho em madeira, ladrilho ou pedra polida. Os tapetes devem ser lisos ou então estampados com formas geométricas vistosas.
  • O estilo contemporâneo é marcado por algum despojamento, nomeadamente no que toca a peças decorativas – aqui valoriza-se a qualidade, em detrimento da quantidade. Menos é mais e os elementos chave devem ser vistosos e de elevado bom gosto.
  • Existe um cuidado especial em termos de organização, preferindo-se armários amplos, embutidos e com um sistema de arrumos discreto e eficiente.Para evitar espaços demasiado austeros, combinam-se peças arredondadas com peças mais rectas, conjuga-se mobiliário alto e baixo, utiliza-se texturas, alguns padrões e cores chave para criar um ambiente luxuoso e confortável.

A funcionalidade e um design exímio têm de estar de mãos dadas num estilo contemporâneo – de que serve a beleza, se não podemos usufruir dela?

 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER